Discussão sobre novas concessões de Pedágio começa em Cascavel

Deputado Coronel Lee esteve presente na primeira Audiência Pública realizada nesta sexta (5)

A primeira audiência pública da Frente Parlamentar sobre o Pedágio da Assembleia Legislativa do Paraná, realizada nesta sexta-feira (05) em Cascavel, mostrou a disposição dos setores produtivos do Oeste Paranaense em discutir o atual modelo proposto pelo Governo Federal.

No encontro realizado na Associação Comercial e Industrial de Cascavel (ACIC), parlamentares, prefeitos, vereadores, representantes da sociedade civil organizada e do setor produtivo da região se posicionaram contra o modelo de leilão híbrido, com critério de menor tarifa, seguido de maior outorga.

Segundo as entidades do Oeste, o modelo apresentado por técnicos do Governo Federal, durante audiência pública realizada nesta quinta-feira (04) no plenário da Assembleia, pode ser extremamente prejudicial para a população e à economia do Estado. Para os participantes da reunião em Cascavel, a nova modelagem pode repetir os mesmos problemas do pedágio implementado há 24 anos, composto por tarifas altas com reajustes sistemáticos e sem o cumprimento do cronograma de obras e investimentos.

Para o Deputado Coronel Lee, representante da região Oeste na Audiência, qualquer que seja o modelo adotado deve respeitar a economia do estado. “Um pedágio caro acaba encarecendo todo setor produtivo. Temos que separar o orçamento que mantém a rodovia do lucro das pedageiras. Não podemos mais pagar esse absurdo que é o atual valor do pedágio paranaense, bem como não podemos aceitar que estradas como a BR 277 ainda não esteja duplicada em sua totalidade”, frisou. “Essa discussão é necessária para chegarmos a um consenso. Nós como deputados temos que respeitar a vontade da maioria e prezar pelo que trará maior benefício a todos. Os próximos 40 dias definirão os próximos 30 anos. Não podemos falhar”, finalizou o Deputado Coronel Lee.

O modelo proposto pelo Governo Federal prevê um investimento de R$ 42 bilhões nos 30 anos de concessão. Serão implementadas 42 duas praças de pedágio – 15 a mais que atualmente – divididas em seis lotes, em uma extensão de mais de 3,3 mil quilômetros de rodovias pedagiadas. A Taxa Interna de Retorno (TIR) regulatória adotada é de 8,47%. A TIR é um método utilizado para análise de viabilidade de projetos de investimento.

A próxima audiência pública promovida pela Frente Parlamentar sobre os Pedágios da Assembleia Legislativa do Paraná acontece neste sábado (6), a partir das 9h30, em Foz do Iguaçu, na Associação Comercial e Empresarial do município. O evento será transmitido pela TV Assembleia e pelas redes sociais do Poder Legislativo.

1 comentário

  1. As conceções não poderia passar de 5 anos de validades se a concessionária não cumprir o que ficar estabelecido neste tempo pagar – se multa sem o direito de recorrer a justiça. E suas obras não corresponder com um serviços de primeiro mundo pagar – se a multa e jamais poderá participar de qualquer licitaçaoque sejas. O proprietarios ou seus parentes ou oessoas próximas….

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: